O futuro da produção de flores pode não estar nos mercados tradicionais

Alguns países têm tradição em flores, como a Holanda e a Colômbia, mas outros países têm se mostrado bastante promissores, como Equador e Quênia. Com isso, a representatividade dos países tradicionais vem diminuído ao longo dos anos. Por exemplo, em 2005, a Holanda foi responsável por 50% das exportações de flores e esse número diminuiu para 43% em 2015. Por outro lado, as exportações do Quênia variaram de 5% para 11% no mesmo período.

Curiosamente a produção de flores nos países equatorianos foi influenciada pela Europa, com a Holanda sendo uma das grandes responsáveis. Em 2015, a Holanda representou 11% das importações de flores, estando atrás apenas dos Estados Unidos, Alemanha e UK. Nesse mesmo período, dentre os produtos importados na Europa, aproximadamente 45% foram originados do Quênia.

No entanto, nós sabemos que tanto os países tradicionais quanto os emergentes não são os únicos e nós conseguimos ter acesso a produtos com ótima qualidade localmente. Nós, na Ticolas, quando escolhemos as flores para os nossos lindos arranjos, buscamos sempre priorizar os produtores locais. Em Portugal, o mercado de flores está na magnitude de, aproximadamente, €500MM. Os produtos locais são de ótima qualidade e, aproximadamente, 70% das flores são produzidas na região de Montijo. No entanto, se os produtos são bons, por que Portugal não aparece nos estudos que achamos na internet? Infelizmente qualidade não é o único fator decisivo para se estudar um país e, quando analisamos a magnitude total da Europa, esse valor representa apenas 2.3% da produção total do continente. Esse valor cai ainda mais para 1.4% quando falamos sobre a produção de flores no país. Portanto, conseguimos concluir que o futuro da produção de flores pode não estar nos mercados mais tradicionais. Nós com certeza acreditamos que Portugal poderá surpreender a todos no futuro!